Case study Jumia: push notification na estratégia de e-commerce

Case study Jumia: push notification na estratégia de e-commerce

“Com as push notifications, estamos mais perto dos nossos usuários, porque é uma forma mais pessoal de se comunicar com eles. Os clientes não estão dispostos a fazer download das nossas apps, pois temem o impacto nas suas contas de dados “, diz Jeremy Doutte, Jumia CEO.

jumia

Push notifications ajudam o website Jumia a reverter o abandono do carrinho de compras

Resultados:

  • 38% de open rate
  • 9x mais conversões em vendas de carrinhos que eram anteriormente abandonados dos clientes vindos web push
  • 7,85% de taxa de conversão em carrinhos anteriormente abandonados de clientes web push, versus 4,5% de clientes native app

Sobre Jumia

Jumia é um dos principais sites de  e-commerce na África. A maioria dos seus clientes, usam dispositivos móveis para acessar o site e também para fazer compras.

Desafio

Diariamente, cerca de uma quarto dos carrinhos de compras eram abandonados pelos clientes do site. Como uma estratégia para que os clientes finalizar as suas compras, o e-commerce passou a enviar emails aos usuários. Mas convencer os usuários a deixar o contato de email não se mostrou assim tão fácil. Além disso, as taxas de abertura de emails eram muito baixas.

Como cerca de 65% do tráfego do site Jumia era mobile, a empresa buscou tecnologias inovadoras e resolveu testar as push notifications para conseguir re-engajar os usuários que tinham abandonado os carrinhos, para que estes finalizassem as compras.

Ainda não usa push notifications? Experimente o Pushnews como solução. Registe-se grátis e instale a tag no seu site

Solução

A empresa implementou as push notifications e passou a enviar notificações aos usuários que abandonavam os seus carrinhos de compras.

As notificações tiveram uma taxa de abertura de 38% em dispositivos móveis e 9x mais resgate de clientes e conversões em carrinhos abandonados que antes. A taxa de conversão das push notifications para carrinhos abandonados em dispositivos mobile superou a de native apps – 7,85% vs 4,5% respectivamente.

*Fonte original: Developers Google. Veja o case study completo aqui

Comments

comments