Comprar tráfego – As melhores práticas

Comprar trafego

Comprar tráfego – As melhores práticas

Ter um negócio online é sinônimo de comprar tráfego e quem está nesse ramo sabe que é comum usar PPC para alavancar o seu negócio, porém, existem alguns detalhes que certamente você não está fazendo e que pode incluir no seu negócio para o ajudar a otimizar o custo dos cliques e consequentemente as conversões.

Neste artigo vamos dar 4 dicas bem legais do que não deve esquecer quando se está a comprar tráfego. Fique ligado

1 – Coloque UTM em todo o lado

Se está a comprar tráfego você vai querer rastrear de onde vem o tráfego que comprou. Uma grande parte dos negócios online não está associando parâmetros UTM para os seus anúncios.

Os usuários confiam no Google Analytics para descobrir de onde está vindo o tráfego quando a melhor forma é saber em concreto de que site/artigo/campanha/imagem está vindo.

No caso do Facebook por exemplo, isso antes era uma grande dor pois você tinha de colocar os UTM manualmente, atualmente, os anúncios funcionam com marcação dinâmica, o que economiza em muito o seu tempo!

Se lembre que antes de colocar em prática deve ter isso pensado e planejado.

O que são UTMs?

Os UTM são parâmetros que você adiciona no final da URL que para quando um usuário clicar nessa URL vai passar informações ao Analytics de onde é proveniente o tráfego, neste caso, colocar “utm_source=fb” que se refere a um clique proveniente do facebook e um “utm_medium=ad” que é referente a determinado anúncio.

Precisa de ajuda com UTMs?

Se você nunca adicionou UTMs o mais simples é entender em que consiste cada um dos UTMs:

  1. Comece por adicionar o URL que quer trackear;
  2. Adicione o Campaign Source (pode ser um motor de busca, nome da sua newsletter)[utm_source=google];
  3. Adicione o Campaign Medium (usualmente é o meio proveniente do tráfego)[utm_medium=cpc];
  4. Adicione o Campaign name (é usado para uma análise de keyword. É mais comum para vendas de produtos ou uma campanha estratégica)[utm_campaign=sapatosdeborracha]

Se tiver receio de adicionar manualmente um UTM consulte esta ferramenta que faz isso por você!

Um exemplo final de como ficaria um URL com UTM’s seria:
https://app.pushnews.eu/register?coupon=TRIAL-14&utm_source=blog&utm_medium=comprartráfego&utm_campaign=exemplofinal

Neste caso ao você clicar AQUI nós vamos saber que veio do nosso blog, deste artigo e desse parágrafo.

2 – Faça Remarketing

O Remarketing consiste em impactar os usuários que em algum momento interagiram com seu produto/serviço e assim envolvê-los com anúncios relevantes com base em seus hábitos de navegações anteriores.

Quando está a comprar tráfego lembre-se de usar Remarketing pois um usuário pode ter-se esquecido de determinado produto/serviço e assim vai criar nele um sentimento de lembrança uma vez que já contactou anteriormente com o seu negócio.

Saiba aqui a importância de engajar a sua base de leads.

Sabemos que o Remarketing digital geralmente não tem as mesmas taxas de cliques que as campanhas padrão de PPC, é uma forma de reforçar sua marca para clientes interessados. Como os usuários passam a maior parte do tempo online, longe dos mecanismos de pesquisa, é importante aproveitar a poderosa rede de anúncios que o Google e Bing disponibilizam.

Resultado Push

Ao usar recursos avançados de uma ou várias formas de anúncios no Google/Bing, você poderá segmentar os usuários que podem se tornar em clientes com muito potencial. Deve aproveitar a oportunidade de segmentar aqueles que em algum momento já perguntaram sobre seu produto ou serviço e não realizaram uma compra/concluíram uma conversão.

3 – Não ignore o PPC em B2B

A maioria dos profissionais de marketing digital só pensa em PPC para vendas em B2C (business-to-consumer) como varejo, produtos eletrônicos ou para gerar leads através de identificação e correspondência de clientes potenciais para serviços, como consultas para serviços financeiros ou encontrar um novo provedor de serviços de saúde.

O seu trabalho enquanto profissional de marketing, e se está comprando tráfego deve ser o de veicular anúncios de pesquisa paga do seu produto ou serviço que levem seus usuários à sua página de destino e esperar que eles façam uma conversão.

Em B2C o ciclo de vendas é bem curto. O PPC em B2B (Business-to-business) tem propriedades diferentes como é o facto de ter um ciclo de vendas bem maior, e deve usar esse ciclo para conseguir diminuir os custos de suas campanhas, como você sabe, ao publicar um anúncio ele vai ter um período de aprendizagem e é necessário investir tempo e dinheiro para deixar o algoritmo trabalhar e otimizar o seu anúncio para chegar na audiência correta e para gastar o mínimo no que toca a compra de tráfego.

Assim, por ter um ciclo superior você sabe que vai envolver mais interessados e mais pontos de contato.

Novamente você deve planejar bem o que está buscando com as suas campanhas e só depois deve colocar isso em prática.

4 – Use a Geolocalização

Sempre que estiver a comprar tráfego poucas são as ferramentas que não o permitem fazer uma segmentação por local.

As opções de geolocalização permitem incluir ou excluir usuários com base em ser provável que eles estejam fisicamente localizados nesse sítio ou lugares nos quais demonstraram interesse.

Por padrão, a segmentação por local inclui locais físicos e locais de interesse, mas os anunciantes avançados podem usar essas opções para limitar a sua segmentação a qualquer um deles.

Imagine que você está vendendo um produto para uma loja que tem em São Paulo, no momento de comprar tráfego você pode optar por segmentar seus anúncios para pessoas fisicamente localizadas em São Paulo ou que estejam noutro lugar, mas que demonstraram interesse em São Paulo (ou ambos).  

Conclusão

Todos os negócios online em algum momento vão ter a necessidade de comprar tráfego, você deve usar essas dicas para diminuir o seu custo de conversão e integrar o Pushnews no seu negócio para quando estiver a comprar tráfego poder cadastrar os seus visitantes na sua base e enviar notificações push para eles!